Texto Inerrante ≠ Interpretação Inerrante

Derek Rishmawy | March 11, 2015


Recentemente, deparei-me com alguns diferentes escritores levantando questões sobre o valor de afirmar a inerrância ou infalibilidade da Bíblia, ambas articuladas sobre a relação entre o texto e a interpretação. Um, em voz alta, questionava a coerência de reivindicar um texto infalível quando você é um pecador finito, cujas faculdades são limitadas, provavelmente desordenadas pelo pecado e vontade própria, e cujas interpretações devem ser falhas. O outro, um pouco mais ousadamente, afirmou que a doutrina era desnecessária, servindo apenas à arrogância humana, adicionando peso ao próprios pronunciamentos falíveis do requerente.

Embora ambas as objeções são bastante compreensíveis, e o primeira bastante razoável, elas compartilham uma falha comum de distinguir entre as afirmações teológicas que estão sendo feitas sobre a própria Bíblia, e aquelas para a nossa própria interpretação da Bíblia. Em outras palavras, é a diferença entre inspiração e iluminação, e sua relação com o texto.


Inerrância e Inspiração vs Iluminação
Para ser claro desde o início, a inspiração é uma doutrina sobre a origem e a natureza do texto da Escritura. A doutrina clássica sobre a inerrância ou infalibilidade da Bíblia (e sim, eu estou usando os termos um pouco alternadamente), é também sobre a natureza do texto que…


To read the rest of this article, visit http://www.thegospelcoalition.org/pt/article/texto-inerrante-interpretacaeo-inerrante.