Um Ingrediente Ausente na Boa Pregação

Kevin DeYoung | November 8, 2016


O que fez a pregação de Billy Graham eficaz? A resposta de Grant Wacker para esta pergunta, que está na biografia muito agradável de se ler, “America's Pastor” [O Pastor da America], tem muitos níveis, mas foi seu último ponto que me chamou a atenção.

O efeito cumulativo [da pregação de Graham] deixou sua marca. Ouvintes de todos os tipos, incluindo aqueles que conscientemente rejeitaram a mensagem de Graham, comentaram sobre sua evidente sinceridade. Ninguém duvidava de que ele acreditava absolutamente em tudo o que dizia, sem qualquer tipo de ressalva. Esta característica foi mencionada em incontáveis relatos.

Foi também mencionada a aparência de total ausência de esforço, como se tratassse de um atleta profissional executando uma jogada treinada. Claro que não foi sem esforço, mas ele dava a impressāo que sim. Os ouvintes não tinham a impressāo de que ele estavisse despreparado, que não sabia o que dizer ou que não queria estar lá. Na verdade, antes do início das cruzadas evangelísticas, ele se preparava por dias ou semanas de exercício físico, estudo e oração. Graham nos diz que tinha consciência da tensão existente ao pregar para milhares de pessoas, uma tensão que sem dúvida era intensificada pelos microfones…


To read the rest of this article, visit http://www.thegospelcoalition.org/pt/article/um-ingrediente-ausente-na-boa-pregacaeo.