7 Armadilhas a Evitar na Pregação

Michael J. Kruger | September 1, 2017


Pregar é uma tarefa árdua.

Para quem está sentado no banco de igreja, a pregação pode parecer relativamente fácil, especialmente quando é bem feita. Mas não se deixe enganar. A pregação esgota o corpo e a alma de maneiras incomensuráveis ​​com a sua duração. Eu poderia trabalhar no quintal durante todo o dia num calor de 32 graus e (de alguma forma) me sentir menos exausto do que pregar em dois cultos.

Mas não são apenas os custos físicos e espirituais que a pregação tem. A complexidade da tarefa é o que a torna difícil. Só o ficar de pé e falar durante 30 minutos (e a fala fazer sentido) já é bastante difícil para a maioria das pessoas. Mas, além desse desafio, os pregadores têm de se enveredar por uma passagem complicada, equilibrar doutrinas sensíveis, compôr uma mensagem coerente, aplicar a mensagem à vida das pessoas, e fazer tudo isso de maneira que a mensagem seja atraente, envolvente, gratificante, e nunca chata ou aborrecedora.

Não é de se admirar que Tiago tenha escrito: “Não sejais muitos de vós mestres” (Tiago 3.1).

Dadas as complexidades da pregação, há uma série de armadilhas em que todos os pregadores (especialmente os aspirantes)…


To read the rest of this article, visit http://www.thegospelcoalition.org/pt/article/7-armadilhas-a-evitar-na-pregacaeo.