Confissões de um Calvinista, 1

Thabiti Anyabwile | July 14, 2017


Sou um fariseu. E sou calvinista.

Estas duas características nāo combinam, mas sāo encontradas juntas com muito maior frequência do que deveriam.. O calvinista deveria ser o último a se tornar um fariseu. Nossa teologia deveria nos manter humildes. Ou, pelo menos, é o que dizem.

Mas eu sou fariseu. E sou calvinista. O que significa que sou um calvinista ruim.

Eis a primeira razão porque digo que sou fariseu e calvinista, ou uma das razões pelas quais esta combinação ocorre com muito maior freqüência do que deveria. Tanto o fariseu quanto o calvinista são pessoas rigorosas. Ambos se preocupam em serem precisos, em “fazerem tudo direitinho”. Importam-se com a letra da lei, pois crêem que compreendê-la é importante. E de fato, é.

Portanto, há uma certa inclinação para coisas intelectuais. Há uma tendência para matutarmos a vida em nossos cérebros. E quando isso se junta a uma tradição teológica tão rica e robusta quanto a tradição reformada, isto causa faíscas em nossas mentes. Adicione a isso uma pitada de espírito argumentador e temos o fariseu.

Mas sabe o que está faltando? O espírito. Ou o Espírito. Às vezes, os dois. A letra mata. É isto que acontece conosco, fariseus…


To read the rest of this article, visit http://www.thegospelcoalition.org/pt/article/confissoes-de-um-calvinista-1.