Pensando em Terços

Jamie Brown | August 13, 2016


Há poucas responsabilidades que um líder de louvor deve levar mais a sério do que a de escolher canções para a sua congregação cantar. Nas palavras do teólogo Gordon Fee, “mostre-me as canções de uma igreja e eu lhe mostrarei sua teologia”. Com séculos de músicas mais antigas e uma biblioteca crescente de novas músicas entre as quais escolher, como é que um líder de louvor deve priorizar o que colocar na boca de suas congregações?

Descobri que é útil pensar em terços. Visualize cada um destes terços como uma fatia de uma torta inteira. O tamanho de cada fatia mudará, dependendo do seu próprio contexto, cultura, e até mesmo cultos e/ou locais específicos. Mas um repertório saudável, com o objetivo de moldar a teologia cantada por sua congregação, de forma equilibrada, normalmente deve advir destes três terços.

Históricos
Cada igreja deve ter uma lista de, pelo menos (!), 20 a 30 hinos antigos que a igreja sabe cantar. Por quê? Porque nós não queremos cair no que C.S. Lewis descreve como “esnobismo cronológico”, uma armadilha que enreda demasiados líderes de louvor, levando-nos a pensar que o mais novo é melhor e o mais velho é pior. Temos séculos de…


To read the rest of this article, visit http://www.thegospelcoalition.org/pt/article/pensando-em-tercos.