TRÊS RAZÕES PORQUE OS QUE SE CASARAM NOVAMENTE, DEPOIS DE UM DIVÓRCIO, NÃO DEVEM DEIXAR SEU NOVO CÔNJUGE

Justin Taylor | April 5, 2016


O catecismo oficial da Igreja Católica Romana proíbe que a comunhão eucarística seja dada àqueles que são divorciados e novamente casados, ​​e que estão vivendo neste segundo casamento como marido e mulher:

Sendo fiel à palavra de Jesus Cristo – “Quem repudiar sua mulher e casar com outra, comete adultério contra ela; e se ela repudiar seu marido e casar com outro, comete adultério”, a Igreja sustenta que uma nova união não pode ser reconhecida como válida, se o primeiro casamento foi. Se os divorciados casam-se civilmente, eles se encontram em uma situação que contraria objetivamente a lei de Deus. 

Consequentemente, eles não podem receber a comunhão eucarística enquanto esta situação persistir. Pela mesma razão, eles não podem exercer certas responsabilidades eclesiásticas. A reconciliação pelo sacramento da penitência só pode ser concedida àqueles que se arrependeram por ter violado o sinal da Aliança e da fidelidade a Cristo, e que estão comprometidos em viver em completa abstenção.

Para com os cristãos que vivem nesta situação e geralmente conservam a fé e desejam educar seus filhos de uma maneira cristã, os sacerdotes e toda a comunidade devem ser atentos e cuidadosos, para que eles não se considerem separados da Igreja, em…


To read the rest of this article, visit http://www.thegospelcoalition.org/pt/article/tres-razoes-porque-os-que-se-casaram-novamente-depois-de-um-divorcio-naeo-devem-deixar-seu-novo-conjuge.